Criada em 21 de Dezembro de 1941
A história de Biguaçu inicia-se com a criação da Póvoa de São Miguel, nos termos da Provisão de 9 de agosto de 1747, com a chegada dos primeiros açorianos. Iniciaram-se logo os trabalhos de construção da igreja matriz, feita de pau-a-pique e coberta de telhas, que foi dedicada a São Miguel Arcanjo. Achava-se edificada no mesmo lugar onde hoje ainda se encontra a centenária igreja.

Em 1750, foi criada a Freguesia, sob a mesma invocação, recebendo seu primeiro Vigário, Pe. Domingos Pereira Machado.

A histórica vila teve a honra de ser, por ocasião da ocupação espanhola, Capital provisória da Capitania de Santa Catarina, quando, a 31 de maio de 1778, o Coronel do Regimento da Bahia, Francisco Antonio da Veiga Cabral da Câmara, assume o Governo da Capitania e instala ali sua sede, para mais tarde, a 31 de julho, marchar sobre a Capital, sede da Capitania, então sob domínio espanhol.

Nos fins do século XIX a Vila de São Miguel entrou em decadência. Seu último Vigário residente foi o Pe. Manuel Miranda da Cruz, até 28 de dezembro de 1898. Desta data em diante ficou vaga a Paróquia, sendo então anexada, ora à de Tijucas, ora à de Florianópolis.

O florescimento da povoação de Biguaçu remonta aos idos de 1870. A 17 de maio de 1874 foi benta a Capela de São João Evangelista, hoje Igreja Matriz da Paróquia.

Pela Lei Provincial nº 971, de 19 de dezembro de 1882, Biguaçu é elevada a Freguesia, com sede em São Miguel. A 1º de março de 1883 passa à categoria de Município.

Nesta época, Biguaçu pertencia à Paróquia de São Miguel. Em 1886, pela Lei nº 1902, de 5 de agosto, foi determinada a transferência da sede do Município de São Miguel para Biguaçu, que recebeu foros de Vila. Em 1888 retorna a sede para São Miguel, até que, em 1894, voltou definitivamente para Biguaçu.

Em 1938 o Coadjutor de Tijucas, Pe. Germano Bitter, passa a residir em Biguaçu.

Em 21 de dezembro de 1941, um Decreto do Sr. Arcebispo Metropolitano, Dom Joaquim Domingues de Oliveira cria a Paróquia São João Evangelista de Biguaçu, sendo nomeado seu primeiro Pároco Pe. Antônio Condlick.

A 27 de novembro de 1948, por Decreto da Cúria Metropolitana, as Capelas da atual Paróquia de Antônio Carlos, que eram atendidas pelos Padres de São Pedro de Alcântara, passam à jurisdição da Paróquia de Biguaçu.

Aos 19 de março de 1958, por Decreto Episcopal também de Dom Joaquim Domingues de Oliveira, é criada a Paróquia de Antônio Carlos, com território totalmente desmembrado da Paróquia de Biguaçu.

Em 08 de maio de 1983, por Decreto da Cúria Metropolitana, era criada a Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes de Governador Celso Ramos (anteriormente conhecido como Ganchos), com território totalmente desmembrado de Biguaçu.

imagem_historia_001

Comente